Ex Mórmons

Pessoas realmente deixam de freqüentar a Igreja Mórmon (cujo nome correto é A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias) e o fazem por muitas razões. Alguns acabam descordando das doutrinas em algum ponto de sua vida. Muitos viram Ateus ou agnósticos. Alguns se unem a outras igrejas. E alguns, geralmente aqueles que deixam a Igreja e sentem uma amarga oposição a ela, se autodenominam “ex-Mórmons”. Alguns ex-Mórmons se tornam anti-Mórmons ativos e suas presenças são especialmente notadas na Internet.

A organização Ed Decker é provavelmente o grupo de “ex-Mórmons que também são os anti-Mórmons” mais famosos que existe. Sua organização é chamada por vários nomes – “Recobrando do Mormonismo”, “Santos Vivos”, e “Ex-Mórmons para Jesus”. Decker foi excomungado da Igreja em 1976. Os ataques que ele faz contra a Igreja são sensacionalistas o bastante para ser condenado pela Liga de Anti-Defamação. A linguagem de Decker é hiperbólica e exagerada, e as afirmações que ele faz para levar adiante a sua causa não tem evidência ou base. Por causa dos seus excessos, outros ex-Mórmons e críticos da religião Mórmon rejeitam as suas conclusões e o seu estilo, mas ainda assim ele tem alguma influência on-line.

Muitos usuários de Bloggs que se autodenominam ex-Mórmons também se auto descrevem como humanistas seculares. Eles totalmente rejeitam a crença em Deus. Seus ataques tendem ser o que eles acham que seja os maiores problemas da Igreja Mórmon.

Tais como um tipo de conformidade forçada que nega toda a liberdade de pensamento de seus membros. Ou hipocrisia – porque alguns críticos ex-Mórmons verão qualquer sinal de fraqueza entre os líderes ou membros da Igreja como hipocrisia. Se qualquer um, com qualquer grau de autoridade, ou qualquer um que está se esforçando para viver o evangelho, comete um erro, alguns críticos afirmarão que isso é uma prova de que os Mórmons não praticam o que pregam. Ex-Mórmons também podem afirmar que tenham sido enganados pela Igreja, ou que a Igreja mentiu para eles e fez uma lavagem cerebral neles. Eles também podem afirmar que são muito inteligentes para acreditar naquelas crenças do Mormonismo e que aqueles que acreditam não podem ou não vão poder lidar com a realidade. Ou ainda poderão afirmar que a religião Mórmon é um culto ou uma conspiração.

A Igreja Mórmon nunca prometeu a qualquer pessoas que seja que ela iria imediatamente se tornar perfeita assim que se filiasse a ela ou que somente encontraria pessoas perfeitas que a freqüentasse. Ou que apenas pessoas perfeitas poderiam ser chamadas como líderes da Igreja. Não. A Igreja está cheia de pessoas imperfeitas – pois apenas um único homem que caminhou nessa Terra foi perfeito, Jesus Cristo. E falhas são inevitáveis quando os padrões são altos. A meta é se arrepender do pecado e continuar tentando fazer o melhor que puder – e cada pessoa terá que passar por esse mesmo processo. E se os Mórmons são parte de uma conspiração ou um culto, eles não trabalham como um grupo unificado. Os Mórmons tem uma grande variedade de crenças políticas, empregos, passatempos, e interesses. Eles discordam de outros membros em muitos assuntos pessoais. Não existe nenhuma prova real de conspiração e comportamentos perigosos de cultos jamais foram feitos.

Alguns ex-Mórmons acusam a Igreja, seus membros, ou os missionários Mórmons de mentir para eles, ao invés de mostrar a “verdade” sobre as doutrinas Mórmons. A doutrina Mórmon é publicada de modo amplo (embora aqueles livros oficialmente publicados pela Igreja sejam mais precisos). Em adição, pessoas que estão saindo da Igreja, ou que estão pesquisando sobre ela, são encorajados a perguntar sobre qualquer questão ou dúvidas que eles venham a ter. Além disso, ninguém é forçado a continuar na Igreja Mórmon depois que ele se tornou um. Isso parece ser óbvio. Se os Mórmons estivessem realmente interessados em silenciar os críticos, eles seriam bem maus ao fazê-lo. Afinal de contas, existem muitas vozes de ex-Mórmons espalhadas por ai.

Mas por que os ex-Mórmons são tão furiosos com a Igreja? Talvez possa ser que embora um membro possa deixar a Igreja a qualquer hora, deixar a comunidade (especialmente se é uma onde você cresceu) é sempre difícil. Ex-membros deixam para trás toda uma série de tradições religiosas e culturas religiosas e desata laços com familiares e amigos. Deixar o Mormonismo pode fazer você se sentir sozinho, pois os fortes laços que o Mormonismo proporciona não estão mais presentes. E enquanto os Mórmons devem supostamente ser tolerantes com os outros, eles não aceitam coisas que eles vêem como pecado como algo que não seja pecado. Alguém que deixa a Igreja porque quer fazer alguma coisa que a Igreja não permite, pode se sentir bastante incomodado.

Para finalizar, as pessoas de fato deixam a Igreja – a Igreja não é confortável para todo mundo. Eles podem discordar da teologia Mórmon, eles podem ter sido ofendidos por outro membro, eles podem querer se comportar de maneira que não são permitidas pela Igreja Mórmon. Porém, os ex-Mórmons anti-Mórmons não são as melhores fontes de informações sobre a Igreja, uma vez que eles sempre destorcem os seus ensinamentos.

Copyright © 2016 Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (Mormons). Todos os direitos reservados.
Esta página web não pertence nem é afiliada a Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (algumas vezes também chamada de Igreja Mórmon ou Igreja SUD). Os pontos de vista expressos pelos usuários são de responsabilidade dos mesmos e não representam necessariamente a posição da Igreja. Para acessar os sites oficiais da Igreja visite: LDS.org ou Mormon.org.